domingo, 10 de fevereiro de 2008

GASTER / NOMUS e o TURISMO - E agora?


Caros alunos(as)!! Este é o início de nossa jornada neste semestre. De acordo com alguns autores, gastronomia pode ser entendida como a ciência que estuda as relações dos indivíduos à mesa, a transfiguração e trans-substanciação de sua cultura, sua memória, identidade, valores e gosto, todos elas assumindo a forma simbólica de um prato. Procure mais e poste sobre Hedypatheia (de Arkhestratus), o papel de Aristóteles na história da gastronomia, algo sobre o poema de Joseph Berchoux, escrito em 1801 e os principais "gastrônomos" dos séculos 19 e 20. A partir disto, iremos sintetizando a relevância desses fatos e dados, os quais comporão nossos primeiros debates acerca de nosso tema.

Um grande abraço

Prof. Therbio Felipe

8 comentários:

Danielle disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Bom dia... Vamos lá! Por volta do ano de 350 a.C. foi escrito Hedypatheia – Tratado dos Prazeres - por Arkhestratus, que era contemporâneo de Aristóteles. Nesta obra cita a palavra Gastronomia, gaster – estômago e nomus – leis, ou seja, o estômago regido por leis. Ensinava técnicas de preparo de peixes, além de sugerir a busca de alimentos puros e de qualidade a fim de propiciar os prazeres do paladar e respeitar as ‘leis do estômago’. Joseph Berchoux, francês de 1801 escreveu um poema "La gastronomie ou l'homme des champs a la table". Com mais de mil versos o autor acaba por revolucionar os costumes da época, onde o cozinheiro deixa de ser um simples figurante para ter relevância social, passa também a designar ‘a arte da boa mesa’.
A partir dos relatos citados acima podemos observar a evolução da gastronomia tanto no âmbito cultural, social e histórico. Nota-se que além do prazer de se degustar havia também a preocupação com o preparo do prato, de sua apresentação, entre outros.
Pode-se citar entre os principais nomes da gastronomia August Scouffier, “escreveu o código de todos os itens da cozinha que revolucionou o refinamento na preparação de comidas. Foi ele inclusive quem, montou o majestoso MENU do Translatantico Titanic.” Além de lançar o famoso livro Scouffier. Paul Bocuse é considerado por muitos o cozinheiro do século XX, que juntamente com Jean Pierre Troisgross criaram a nouvelle cuisine francaise – ‘a nova cozinha francesa’ que revolucionou todas as cozinha de todas as civilizações.
É muito importante está busca pela história da gaster/nomus, fatos que de alguma forma marcaram nomes, receitas, lugares, gostos, sabores...

Dani Bez Batti

Anônimo disse...

Por volta do ano de 350 a.C. foi escrito Hedypatheia – Tratado dos Prazeres - por Arkhestratus, que era contemporâneo de Aristóteles. Nesta obra cita a palavra Gastronomia, gaster – estômago e nomus – leis, ou seja, o estômago regido por leis. Ensinava técnicas de preparo de peixes, além de sugerir a busca de alimentos puros e de qualidade a fim de propiciar os prazeres do paladar e respeitar as ‘leis do estômago’. Joseph Berchoux, francês de 1801 escreveu um poema "La gastronomie ou l'homme des champs a la table". Com mais de mil versos o autor acaba por revolucionar os costumes da época, onde o cozinheiro deixa de ser um simples figurante para ter relevância social, passa também a designar ‘a arte da boa mesa’.
A partir dos relatos citados acima podemos observar a evolução da gastronomia tanto no âmbito cultural, social e histórico. Nota-se que além do prazer de se degustar havia também a preocupação com o preparo do prato, de sua apresentação, entre outros.
Pode-se citar entre os principais nomes da gastronomia August Scouffier, “escreveu o código de todos os itens da cozinha que revolucionou o refinamento na preparação de comidas. Foi ele inclusive quem, montou o majestoso MENU do Translatantico Titanic.” Além de lançar o famoso livro Scouffier. Paul Bocuse é considerado por muitos o cozinheiro do século XX, que juntamente com Jean Pierre Troisgross criaram a nouvelle cuisine francaise – ‘a nova cozinha francesa’ que revolucionou todas as cozinha de todas as civilizações.
É muito importante está busca pela história da gaster/nomus, fatos que de alguma forma marcaram nomes, receitas, lugares, gostos...
Luiz marcelot transferetti

Anônimo disse...

Prezados Colegas e Professores

Archestratus

O pai de todos os cozinheiros gregos e possivelmente o decano de todos os cozinheiros foi o grande Archestratus .
Escritor, inventor, pesquisador, Archestratus viajou por todo o mundo conhecido da época aí incluído Jerusalém, onde descobriu e elogiou muito os peixes da Galiléia, apesar de criticar a forma de assá-los porque achava que ficavam passados demais -, à procura de ingredientes e técnicas culinárias para depois escrever Hedypatheia (A Vida de Prazer), que alguns preferem chamar de Gastrologia.
A ele é atribuída a invenção de um prato côncavo, descrito por Athanaeus, para a cocção simultânea de ovos de faisão, ganso e galinha, mas cada um na sua graduação.

Aristóteles

A Grécia tinha uma cultura de comedimento em relação à comida. Havia uma cultura preocupada com a contenção, baseada em ingredientes de qualidade, com sofisticação de preparos e uma postura de contemplação. Hipocrates já afirmava que o excesso de comida poderia fazer mal ao organismo. Existia também uma versão moralista, como a de Aristóteles, que defendia que a comida deveria ser ingerida com atenção e comedimento.

Poema de Joseph Berchoux

A palavra gastronomia, com o sentido que lhe damos hoje, apareceu pela primeira em um poema de Joseph Berchoux - “La gastronomie ou l’homme des champs a la table” (1801). Nesse poema, com mais de mil versos divididos em quatro cantos, burguesia triunfante, ainda ignorante dos corretos costumes sociais, tinha um “code de politesse gourmande” (código de cortesia à mesa). Acabou revolucionando costumes. Desde esse tempo, a figura do cozinheiro e do gastrônomo ganhou relevância social.

Gastrônomos século XIX

Gioachino Rossini, Antonin Carême, Auguste Escoffier, Talleyraund, Urbain Dubois, Jules Gouffé, Alexandre Grimod, Brillat Savarin e Balzac Théophile

Século XX

Poul Bocuse
Adan Maurizius

Camila Rosa de Melo

Referências

Disponível em: http://www.hebraica.org.br/cabecalho/MateriaCompleta.asp?idMateria=84 Acesso em 22/02/08
Disponível em: http://wbroker.blogspot.com/2007/05/curso-de-histria-da-gastronomia.html Acesso em 22/02/08

Disponível em http://www.folhape.com.br/folhape/coluna.asp?data_edicao=01/10/2007&col=36 Acesso em 22/02/08

Disponível em: http://www.pratofeito.com.br/article.php? Acesso em 22/02/08

Referência Bibliográfica

Franco. Ariovaldo
De Caçador a Gourmet - Uma História da Gastronomia. Ariovaldo Franco, 3 ed. Ampl- São Paulo: Editora SENAC São Paulo , 2004

Anônimo disse...

Bom, sintetizando os dados e fatos citados acima, compreendemos que o verdadeiro sentido do termo Gastronomia (gaster=leis, nomus-leis) citado pela primeira vez no poema chamado Hedypatheia, de Arkherstratus, filósofo grego contemporâneo de Aristoletes (mas ainda estou em busca da influência que ele exerceu sobre Arkerstratus)... na sua obra ele cita modos de preparos de peixes depois de sua viagem a região da Galiléia, e o mais interessante, é que eles nós a idéia de nós preocuparmos com o preparo do alimento, como procedência, formas de cocção, etc.

Com o passar dos tempos, esse ato foi ganhado estudiosos e cientistas que se preocupavam em discorrer e esse conjuntos de conhecimentos ligados ao prazer de comer e a dissertar suas técnicas e conceitos. Logo, em 1801, Joseph Berchoux, escritou francês que revolucionou os hábitos e costumes da corte em relação ao ato de comer com o teu poema "La gastronomie ou l'homme des champs a la table", dando importância a figuras conhecidas como o sommelier, o chef e o maître , além é claro de estabelecer a cozinha francesa como padrão de qualidade.

Dentre outros grandes gastrônomos, pode citar Gioachino Rossini, que além de gastrônomo era músico, criou Tournedos alla Rossini, prato servido até os dias de hoje nos bons restaurantes internacionais. Além, é claro, August Scouffier, que escreveu um código com todos os itens da cozinha revolucionando o refinamento no preparo dos pratos. E temos também Paul Bocuse e Jean Pierre Troisgross que criaram “a nova cozinha francesa”, revolucionando o padrão de qualidade até então utilizado.

Me despeço com a seguinte frase da Chef paulista Larissa Aguiar em seu blog:
“gastronomia é a arte de aplicar a ciência na transformação e combinação dos alimentos, visando aguçar os sentidos mediante um resultado visualmente belo, olfativamente inebriante e gustativamente inesquecível”

Bruno Araújo

Referências

Disponível em
http://www.revistadigital.com.br/adagio.asp?NumEdicao=269&CodMateria=2283 Acesso em 03/03/2008

Disponível em
https://www.blogger.com/comment.g?blogID=3699947192530338218&postID=3198175652491095667 Acesso em 03/03/2008

JUAC disse...

A palavra gastronomia surgiu pela primeira vez no livro Hedypatheia de Arkhestratus, um contemporâneo de Aristóteles, no livro a palavra significava a junção de gaster (estômago), e nomos (regido por leis), e o livro era para ensinar a fazer peixes
Mas com o sentido que lhe damos hoje , a palavra gastronomia foi usada pela primeira vez no poema de Joseph Berchoux. Esse poema tinham códigos de cortesia à mesa, e a partir daí houve uma revolução nos costumes, e o cozinheiro e o gastrônomo ficaram mais importantes na sociedade.
Os séculos XIX e XX foram os dois séculos mais importantes para a gastronomia. As duas cidades européias em que deram início às atividades e estudos gastronômicos foram Paris e Londres, devido a nova sociedade urbana gerada pela indústria, que pedia etiqueta, elegância e boas maneiras.
Os mais importantes gastrônomos, podemos citar Marie Antoine Câreme, um francês conhecido como o chef dos reis e o rei dos chefs, ele é lembrado como o primeiro chef celebridade e é do estilo de culinária chamado haute cuisine (Alta gastronomia).
Georges Auguste Escoffier, francês também, sua técnica foi muito baseada em Câreme, só que ele fez popularizar a culinária francesa, e elevou a gastronomia ao status de profissão respeitada.
Escoffier juntamente com Cézar Ritz abriu e dirigiu a cozinha de hotéis famosos com o Savoy e Carlton em Londres e o Ritz em Paris

Anônimo disse...

Estou pesquisando na Net faz um tempo, mas só encontro o que já foi postada acho que até o site pesquisado foram os mesmo, então vou postar conforme achei apesar de ser o que já foi postado!!!
Hedypatheia" (Tratado dos Prazeres), de Arkhestratus - um contemporâneo de Aristóteles que ensinava técnicas para preparar peixes. Nele, pela primeira vez, é referido a palavra "gastronomia". Quando explica ser o estômago ("gaster") regido por leis ("nomos"). Apesar disso o uso dessa palavra, com o sentido que lhe damos hoje, apareceu pela primeira vez em um poema de Joseph Berchoux - "La gastronomie ou l'homme des champs a la table" (1801). Nesse poema, com mais de mil versos divididos em quatro cantos, burguesia triunfante, ainda ignorante dos corretos costumes sociais, tinha um "code de politesse gourmande" (código de cortesia à mesa). Acabou revolucionando costumes. Desde esse tempo, a figura do cozinheiro e do gastrônomo ganhou relevância social.
Gastrônomos século XIX
Gioachino Rossini, Antonin Carême, Auguste Escoffier, Talleyraund, Urbain Dubois, Jules Gouffé, Alexandre Grimod, Brillat Savarin e Balzac Théophile
Século XX
Poul Bocuse, Adan Maurizius



http://www.pratofeito.com.br/
http://www.universia.com.br/html/noticia/noticia_clipping_bjbaa.html
http://www.extranet.ceuma.br/graduacao_mostrar.asp?codigo=grad_50_gastronomia

Rodrigo Campos de Carvalho

Anônimo disse...

A palavra gastronomia surgiu pela primeira vez no livro Hedypatheia de Arkhestratus, um contemporâneo de Aristóteles, no livro a palavra significava a junção de gaster (estômago), e nomos (regido por leis), e o livro era para ensinar a fazer peixes
Mas com o sentido que lhe damos hoje , a palavra gastronomia foi usada pela primeira vez no poema de Joseph Berchoux. Esse poema tinham códigos de cortesia à mesa, e a partir daí houve uma revolução nos costumes, e o cozinheiro e o gastrônomo ficaram mais importantes na sociedade.
Os séculos XIX e XX foram os dois séculos mais importantes para a gastronomia. As duas cidades européias em que deram início às atividades e estudos gastronômicos foram Paris e Londres, devido a nova sociedade urbana gerada pela indústria, que pedia etiqueta, elegância e boas maneiras.
Os mais importantes gastrônomos, podemos citar Marie Antoine Câreme, um francês conhecido como o chef dos reis e o rei dos chefs, ele é lembrado como o primeiro chef celebridade e é do estilo de culinária chamado haute cuisine (Alta gastronomia).
Georges Auguste Escoffier, francês também, sua técnica foi muito baseada em Câreme, só que ele fez popularizar a culinária francesa, e elevou a gastronomia ao status de profissão respeitada.
Escoffier juntamente com Cézar Ritz abriu e dirigiu a cozinha de hotéis famosos com o Savoy e Carlton em Londres e o Ritz em Paris

Pablo Daniel Dias